-
Postado em 10 de Fevereiro de 2020 às 13h03

Exportações de carne suína crescem 41% em janeiro

Suinocultura (29)

As exportações de carne suína do Brasil (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) totalizaram 68,5 mil toneladas em janeiro, segundo levantamentos da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). O número é 41% superior ao registrado no primeiro mês de 2019, quando foram embarcadas 48,5 mil toneladas.

A receita das vendas foi de US$ 164,1 milhões, resultado 78,9% maior que saldo registrado em janeiro de 2019, com US$ 91,7 milhões.

A China se manteve como carro-chefe das exportações brasileiras. Destino de 30,6 mil toneladas (45% do total), o país asiático cresceu suas importações em 252% na comparação com o mesmo período do ano passado, com 8,7 mil toneladas.

“A demanda chinesa se manteve elevada ao longo do mês de janeiro. É um fator importante no impulso das exportações brasileiras”, analisa Francisco Turra, presidente da ABPA.Outros mercados também mantiveram o ritmo das vendas. É o caso de Hong Kong, cuja importações aumentaram 93% no mesmo período comparativo. Vietnã também elevou as importações em 330%.

“Apesar da notável influência chinesa, outros destinos da Ásia e da América do Sul ajudaram a manter a forte alta do resultado mensal, que é o maior saldo histórico já registrado durante o mês de janeiro e acena para um resultado positivo em 2020”, analisa Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA.

 

Com informações ABPA

Foto: Unsplash

Veja também

Topigs Norsvin cresce 401% no Brasil, e produção de carne suína com a genética holandesa atinge 2 milhões de toneladas15/04Empresa registrou, nos últimos quatro anos, um aumento de 401%, e hoje está presente em 34% do mercado brasileiro A inovação vem mudando a forma de viver da sociedade, produzir e até mesmo se relacionar com outras pessoas. Mas inovar não é apenas investir em tecnologia: é entender o cenário do qual se faz parte e criar soluções inteligentes, por meio da experiência e da conexão humana com o negócio. "Por isso, quando falamos de......

Voltar para EDITORIAS