-
Postado em 05 de Novembro de 2020 às 22h17

Falta de chuvas mantém agropecuária catarinense em alerta

+ Agro (72)

Vice-presidente da FAESC, Enori Barbieri, comenta prejuízos da estiagem para a safra de grãos e para a produção e leite

A falta de chuva em Santa Catarina mantém a preocupação do setor agropecuário no Estado. Nas regiões oeste, meio oeste e extremo oeste, as mais prejudicadas, o acumulado na maior parte dos municípios no mês de outubro somou apenas 40 milímetros, bem abaixo do normal para o período – entre 180mm a 200mm, de acordo com dados da Epagri/Ciram. O déficit hídrico, segundo o órgão oficial do Estado, já ultrapassa 700 milímetros neste ano.

Segundo a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), a falta de umidade no solo prejudicou a germinação das sementes de milho e soja já plantadas e danificou as pastagens para alimentar o gado leiteiro. A pouca chuva que caiu nos últimos dias não chegou a penetrar dois centímetros no solo, o que mantém o atraso no plantio do milho e da soja e a preocupação dos produtores.

O alerta do setor é respaldado pelas previsões da Epagri/Ciram. De acordo com o órgão, não há chuvas intensas previstas para novembro e dezembro e o fenômeno La Niña pode se intensificar até maio do ano que vem no Estado, alterando a distribuição de calor, concentração de chuvas e a formação de secas.

 

 

Texto: MB Comunicação

Veja também

PIB do agronegócio tem crescimento recorde de 24,31% em 202024/03Com o resultado, setor amplia de 20,5% para 26,6% sua participação na economia brasileira O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio cresceu 2,06% em dezembro e fechou o ano de 2020 com uma expansão recorde de 24,31%, na comparação com 2019, segundo Comunicado Técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Com o resultado, o agronegócio ampliou......
Produtores rurais poderão aderir ao programa de renegociação de dívidas até 29 de dezembro08/11/20A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional lançou esta nova modalidade para auxiliar o setor agropecuário durante a crise econômica provocada pela pandemia Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, inclusive os agricultores familiares, terão até 29 de dezembro para renegociar débitos inscritos na Dívida Ativa da União com descontos de até 100% nas......

Voltar para EDITORIAS