-
Postado em 06 de Novembro de 2019 às 22h23

Para um melhor controle da Escherichia coli

Avicultura (23)

Uma das bactérias mais comuns na avicultura, a Escherichia coli (E. coli) é responsável por perdas produtivas e prejuízos econômicos importantes, tanto em frangos de corte, como em aves de postura e também em matrizes. Presente no solo, na água, nas fezes e no próprio organismo da ave, a bactéria pode se manifestar com maior ou menor intensidade, de acordo com as condições da granja e de fatores como estresse, má qualidade do ar, ambiência inadequada, doenças respiratórias etc.

“A E. coli é o agente causador da colibacilose aviária, que apresenta diversas manifestações clínicas”, explica o médico-veterinário Matheus Resende, assistente técnico da linha Aves da Zoetis. “Geralmente, é tratada como uma infecção secundária, uma vez que afeta o desempenho das aves e ainda potencializa os problemas já existentes na granja”, completa Resende.

Dentre estas manifestações clínicas causadas pela E.coli estão onfalite, salpingite, peritonite, pericardite, entre outras, além de ser responsável por condenações de carcaças de frango ou aumento na taxa de mortalidade. “Os problemas podem comprometer o desempenho dos animais e, consequentemente, a produtividade da granja”, diz Resende.

O controle da doença pode ser feito de duas formas – por meio de ações curativas, com o uso de antibióticos ou por meio de ações preventivas, como a vacinação. “Sempre bom lembrar de que prevenir é sempre a melhor opção”, ressalta o médico-veterinário.
Além disso, há uma tendência global, iniciada pelos Estados Unidos e pela Europa, em eliminar o uso de antibióticos da produção aviária. Sem contar, as exigências feitas pelo mercado consumidor em relação a isso. “Já há uma sinalização do Ministério da Agricultura em restringir cada vez mais o uso de alguns antibióticos. Então, é de extrema importância que os produtores estejam preparados para isso”, completa Resende.

Poulvac E.coli

A solução que a Zoetis disponibiliza para o mercado é Poulvac E.coli, indicada para vacinação de galinhas reprodutoras, galinhas poedeiras comerciais e frango de corte.

Com ampla proteção contra diferentes sorotipos da E. coli, a vacinação pode ser realizada por spray em aves saudáveis a partir do 1° dia de vida, como auxiliar na prevenção da doença causada pela bactéria.

Em aves de vida longa, é recomendada uma dose de reforço entre a 12ª e a 14ª semana de idade ou de acordo com a recomendação do médico-veterinário responsável pela granja. “Uma das vantagens da Poulvac E. coli é que se trata de uma vacina viva que não consegue sobreviver na ave, nem na granja”, explica Resende. “Além disso, pode ser usada em aves de qualquer idade e sua aplicação é feita por meio de spray, o que facilita o manejo”, diz.

“O produtor precisa estar cada vez mais atento às exigências do mercado e às tendências globais de produção de proteína animal. E trabalhar a prevenção de doenças vai de encontro a isso”, finaliza Resende.

Sobre a Zoetis

Zoetis é uma companhia global líder em saúde animal, dedicada aos clientes e seus respectivos negócios. Com um legado de mais de 60 anos de história, a Zoetis descobre, desenvolve, fabrica e comercializa vacinas e medicamentos veterinários, complementados por linhas de produtos para diagnósticos, testes genéticos e diversos serviços. A Zoetis trabalha continuamente com veterinários, produtores e pessoas que criam e cuidam de animais de produção e de companhia em mais de 100 países, com cerca de 9 mil funcionários. Em 2018, obteve faturamento de US$ 5,8 bilhões de dólares. Para outras informações, acesse www.zoetis.com.br

 

Texto: Assessoria de Comunicação Zoetis

Foto: Pexels

 

Veja também

Exportações de carne de frango crescem 10% em fevereiro12/03 As exportações brasileiras de carne de frango (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) totalizaram 348,4 mil toneladas em fevereiro, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). O número é 10% superior aos embarques efetivados no segundo mês do ano passado, quando foram exportadas 316,7 mil toneladas. As......

Voltar para EDITORIAS