-
Postado em 21 de Maio de 2020 às 19h17

Pesquisa mostra como as indústrias de ovos, frangos e suínos sofrem os efeitos da pandemia

Mercado (146)

Redução da demanda interna, dos preços e dos custos de produção, manutenção das atividades produtivas e expansão das exportações. Esses foram alguns dos impactos observados da pandemia de Covid-19 nas cadeias produtivas de frango de corte, de ovos e de suínos. Resultaram de um estudo realizado pela Embrapa Suínos e Aves junto ao setor produtivo.

Um dos principais efeitos registrados foi a queda da demanda no mercado interno, sobretudo pela redução da renda do consumidor e pelo fechamento de restaurantes, escolas, bares e atividades de turismo. O dinamismo do consumo ficou praticamente restrito aos supermercados, de acordo com o pesquisador Franco Muller Martins, um dos autores do estudo. "Até o final do primeiro quadrimestre, a produção não parou em momento algum, ou seja, não sofreu rupturas como outros setores. Mesmo com o aumento das exportações verificados até o momento, o país terá que buscar exportar ainda maiores excedentes de produção", revela o cientista.

De acordo como pesquisador Dirceu Talamini, outro autor do estudo, os custos de produção já vinham em patamares elevados no início de 2020, especialmente pela desvalorização do câmbio, mas tendem a se equilibrar abaixo dos valores do primeiro quadrimestre. O destaque, segundo ele, é para o preço do milho, um dos principais insumos dessas cadeias produtivas, que perdeu competitividade na produção de etanol em função do preço do petróleo.

"O cenário de curto e médio prazo ainda é de muita incerteza, especialmente no que diz respeito à demanda e avanço da doença. O otimismo da cadeia produtiva de proteína animal está a longo prazo, vislumbrando um esforço maior para aumentar as exportações e adequar o consumo interno, bem como evitar rupturas na logística de suprimento, abate e distribuição", detalha o pesquisador Marcelo Miele, também autor do trabalho.

O estudo foi realizado de 20 a 30 de abril, por meio de entrevistas estruturadas junto a atores-chaves das cadeias produtivas de frango de corte, de ovos e de suínos. Foram ouvidos líderes e membros de associações de produtores e de associações da agroindústria de todas as regiões do País. O estudo teve como foco a busca de informações qualitativas e prospectivas para subsidiar a gestão estratégica da Embrapa e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Veja também

ABRASS comunica medidas preventivas e impacto do COVID-19 no setor de produção de sementes de soja23/03/20 Diante do atual cenário de pandemia do Covid-19 e considerando as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), do Governo Federal – Ministério da Saúde e demais autoridades sanitárias estaduais e municipais, a Associação Brasileira de Produtores de Sementes de Soja – ABRASS – informa que adotou medidas de......
PIB do agro é destaque no 2° trimestre de 202004/09/20Mesmo diante dos impactos da pandemia do covid-19, setor apresentou alta de 1,2% Mesmo diante dos impactos da pandemia do covid-19, a agropecuária apresentou alta de 1,2% no Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil no segundo trimestre de 2020 em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados foram......
PIB DO AGRO SOBE, MAS RESULTADO NO 1º TRIMESTRE É NEGATIVO28/06/19 Agricultura tem desempenho negativo no ano, enquanto pecuária teve alta.    O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio teve alta de 0,10% em março, mas nos primeiros três meses do ano o resultado foi de queda de......

Voltar para EDITORIAS