-
Postado em 05 de Março de 2020 às 16h50

Produção dos Cafés do Brasil da espécie arábica corresponde a 46% da mundial

Grãos (69)

A produção mundial de café estimada para a presente safra de 2020, consideradas as espécies de arábica e conilon, foi calculada em aproximadamente 169,3 milhões de sacas, volume que representa uma redução de 3% em relação à safra anterior. Nesse contexto, a produção global de café arábica será de 95,8 milhões de sacas, que correspondem a 56,6%, e a de conilon, estimada em 73,5 milhões de sacas, representa 43,4%.

O Brasil, que é o maior produtor mundial de café, deverá colher entre 57 e 62 milhões, o que dá uma média de 60 milhões de sacas, das quais aproximadamente 45 milhões são da espécie arábica e 15 milhões de sacas de conilon, que representam aproximadamente 35% do total da produção mundial no presente exercício. O Vietnã, que é o segundo maior produtor de café do mundo, tem sua safra estimada em 32 milhões de sacas, volume que corresponde a 19% da produção mundial. Em seguida, vem a Colômbia, país que deverá produzir 14 milhões de sacas e, assim, ser o terceiro maior produtor de café, com 8,5% do volume em nível mundial.

Exclusivamente em relação à produção mundial de café da espécie arábica, vale destacar que nesta safra de 2020 o protagonismo dos Cafés do Brasil será bastante expressivo. Pois, em uma área plantada de 1,52 milhão de hectares, com produtividade média em torno de 30 sacas por hectare, a produção brasileira de café arábica está estimada num intervalo que varia de 43 a 46 milhões, com média de 45 milhões de sacas, que representam, aproximadamente, 46% do total da produção mundial dessa espécie, cujo volume, conforme citado anteriormente, está estimado em 95,8 milhões de sacas de 60kg.

No Brasil, nesta mesma safra, ora em destaque, Minas Gerais segue como sendo o maior estado produtor de café arábica, com uma produção prevista de aproximadamente 31 milhões de sacas, que representam 69% da produção brasileira e, também, 32% da produção mundial dessa espécie. A Colômbia, segundo maior país produtor de café arábica, deverá produzir 14 milhões de sacas, safra que representará 15% do total produzido no mundo em 2020.

Com relação exclusivamente ao café conilon, a produção mundial está estimada em 73,6 milhões de sacas de 60kg, das quais o Vietnã será responsável por 31 milhões de sacas e, assim, se destaca como o maior produtor da espécie com 42% da produção mundial em 2020. No caso do Brasil, em uma área de 371 mil hectares, com produtividade média de 41 sacas por hectare, o País deverá produzir entre 14 e 16 milhões de sacas, o que representará aproximadamente 20% da produção mundial de café conilon em 2020.

Tal performance descrita anteriormente posiciona nosso País como o segundo maior produtor da espécie de café conilon em nível mundial. O Espírito Santo, segundo estado maior produtor de café no Brasil, com destaque para o conilon, produzirá nesta safra em torno de 10 milhões de sacas dessa espécie. Assim, será responsável por 66% da produção brasileira de café conilon e 14% de toda a produção mundial dessa espécie.

Os dados e números que permitiram realizar esta análise em foco da performance da safra da cafeicultura mundial foram obtidos do Sumário Executivo do Café – Fevereiro de 2020, o qual é elaborado e divulgado mensalmente pela Secretaria de Política Agrícola – SPA, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – Mapa, e está disponível na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.

 

Com informações Embrapa Café

Veja também

Embrapa lança soja para região fria do Brasil30/04/20 A cultivar de soja BRS 5804RR é o lançamento da Embrapa para a região fria do Brasil. Um dos destaques da cultivar é sua resistência à podridão radicular causada por fitóftora, problema recorrente nas lavouras da Região Sul. O potencial de rendimento dessa soja está acima de 100 sacas por hectare. A soja é a maior fonte direta de renda......
Milho em Santa Catarina - Uma conta que não fecha23/11/18 O Estado é um dos maiores consumidores do grão no país, mas não é autossuficiente. Com baixa oferta, quem depende do grão tem uma equação difícil para resolver: reduzir margem de lucro, mantendo......
Faesc: seca agrava escassez do milho15/01/20 A estiagem que atinge o sul do Brasil afeta a produção e a produtividade das lavouras de milho e de soja. Para Santa Catarina, maior importador de milho do País, a seca pode agravar o abastecimento das cadeias de aves e......

Voltar para EDITORIAS