-
Postado em 13 de Maio de 2019 às 09h50

Brasil exportará arroz para México

Grãos (71)

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) anunciou no sábado (11) que o Brasil passará a exportar arroz beneficiado para o México, e em contrapartida o país importará o feijão mexicano.

A ministra está em Niigata, no Japão, onde participa da Reunião dos Ministros da Agricultura do G20. Na cidade japonesa, ela reuniu-se com o secretário da Agricultura e Desenvolvimento Rural do México, Victor M.Villalobos, para anunciar a abertura de mercado para o arroz brasileiro.

Tereza Cristina destacou que todos os requisitos fitossanitários foram cumpridos pelos dois países. A venda de arroz para os mexicanos era uma demanda antiga dos produtores brasileiros, segundo a ministra.

“Quero dizer da felicidade dos nossos produtores de arroz, principalmente do Rio Grande do Sul, que esperavam por essa oportunidade de exportar arroz para o México. Recebemos o feijão mexicano para completar o nosso prato principal, o arroz com feijão”, disse Tereza Cristina, ao lado do secretário do México. Os mexicanos importam cerca de 80% do arroz que consomem.

Rússia

Em outro encontro bilateral, Tereza Cristina reuniu-se com o vice-ministro da Agricultura da Rússia, Sergey Levin. Eles trataram da retomada das exportações brasileiras de proteínas animais e abertura para venda de farinhas e gorduras de origem animal aos russos.

AG-5

A ministra participou ainda de encontro do AG-5, grupo integrado por Brasil, México, Argentina, Canadá e Estados Unidos, as cinco maiores economias agrícolas das Américas.

“Somos todos grandes exportadores, competimos entre nós, mas temos uma grande agenda em comum”, disse Tereza Cristina. 

Veja também

Exportação aquecida de grãos pode provocar crise na agroindústria09/09/20A acentuada exportação de soja e milho decreta a elevação de preços no mercado interno e escassez para as cadeias produtivas de aves e suínos É uma situação contraditória. O Brasil é um dos maiores produtores de alimentos do planeta, mas, em razão da exportação acentuada de grãos, terá que importar essa mesma matéria-prima (soja, milho e arroz) – pagando preços maiores – para manter setores essenciais do agronegócio, como o seu gigantesco parque......
Faesc: seca agrava escassez do milho15/01/20 A estiagem que atinge o sul do Brasil afeta a produção e a produtividade das lavouras de milho e de soja. Para Santa Catarina, maior importador de milho do País, a seca pode agravar o abastecimento das cadeias de aves e......

Voltar para EDITORIAS