-
Postado em 30 de Março de 2020 às 11h16

Estiagem impacta na produção de leite em Santa Catarina

Bovinocultura (48)

A falta de chuva em Santa Catarina tem agravado a situação dos produtores de leite e reduzido a produção no Estado. O alerta é do vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), Enori Barbieri. Segundo ele, desde agosto do ano passado, quando o dólar ultrapassou os R$ 4,00, o aumento da exportação de milho se acelerou, ocasionando a diminuição da oferta e o aumento dos preços do cereal no mercado interno, o que também elevou os custos de produção com o uso de ração na alimentação do rebanho.

Outro agravante citado por Barbieri foi a seca de novembro e dezembro em Santa Catarina que dizimou 40% das lavouras de milho destinadas à produção de silagem. Com o preço do leite estagnado entre R$ 1,20 e R$ 1,30 por quase dois anos, os produtores viram seus custos se elevarem consideravelmente.

A estiagem deste ano, iniciada em fevereiro e com previsão de se estender até a segunda quinzena de abril, agrava a situação. De acordo com a Barbieri, a falta de chuva destruiu as pastagens e os produtores já não estão conseguindo bancar os altos custos da ração à base de milho.

Revista Setor Agro & Negócios "Para se ter uma ideia, há um ano, a saca de milho era comercializada a R$ 35,00 e hoje está na casa dos R$ 55,00, o que praticamente inviabiliza a atividade. Estimamos que as perdas de...

"Para se ter uma ideia, há um ano, a saca de milho era comercializada a R$ 35,00 e hoje está na casa dos R$ 55,00, o que praticamente inviabiliza a atividade. Estimamos que as perdas de produção já chegam até 40% do leite produzido em Santa Catarina", ressalta Barbieri.

Diante deste quadro, o vice-presidente da Faesc alerta que os preços do leite ao consumidor poderão subir até 50% para readequação dos valores, conforme ocorreu com as carnes em dezembro do ano passado.

"Os produtores precisam urgentemente equilibrar seus ganhos aos custos de produção para a situação não se agravar ainda mais. Se isso não ocorrer, deveremos ter uma evasão ainda maior da atividade", sublinha Barbieri ao destacar um dado preocupante do último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): cerca de 1.500 produtores de leite estão abandonando a atividade a cada ano no Estado. Atualmente, a cadeia produtiva reduziu-se a 33 mil produtores em Santa Catarina.

Apesar da preocupação no período, Santa Catarina mantém-se como quarto maior produtor nacional de leite, com 3,059 bilhões de litros ao ano.

 

Com informações MB Comunicação

Veja também

Devon23/11/18Fertilidade e alto rendimento A raça de origem inglesa é famosa pela tranquilidade no manejo e pela adaptação em diversos climas, além do sabor excepcional da carne produzida.   Um temperamento suave e animais extremamente dóceis. A preferência por bovinos da raça Devon poderia ser por conta disso, mas as qualidades vão muito além. A estrutura equilibrada e as......
Bem-estar animal impacta na produtividade de carne e leite01/10/19 Situações de estresse para o animal de produção impactam diretamente no bem-estar e na produtividade, com redução na produção de carne e leite. Avaliar as práticas de manejo em uma fazenda......
Suplementação em bloco é alternativa para quem quer evitar desperdício no curral29/03Com formato diferenciado, o Minerblock® oferece suplementação eficiente aos animais e vantagens de manejo aos pecuaristas O dia a dia na fazenda traz grandes desafios ao produtor, que precisa estar sempre atento à nutrição do gado, garantindo, assim, o ganho de peso e a lucratividade da fazenda. No processo de engorda dos animais, é necessário......

Voltar para EDITORIAS