-
Postado em 21 de Fevereiro de 2019 às 08h13

Na posse da FPA, ministra diz que trabalha afinada com Paulo Guedes

Mercado (147)

Na posse do deputado Alceu Moreira como presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), terça-feira (19), à noite, na presença do presidente Jair Bolsonaro e de seu vice, Milton Mourão, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, declarou que joga afinada com seu colega da Economia, Paulo Guedes. O ministro que compareceu ao evento ouviu da ministra apelo para “olhar muito para esse setor”.

Em entrevista, a ministra voltou a falar sobre a relação com o colega. “Eu fiquei muito feliz do ministro Paulo Guedes estar aqui. É um homem inteligente e, preparado como é, sabe o peso do agro nos negócios do Brasil. Tanto eu quanto o ministro, todo esse time, aliás, quero dizer aqui publicamente, é completamente afinado. Nós podemos divergir em alguns métodos, mas é um time que joga a favor do Brasil”.

O trabalho conjunto de governo foi igualmente enfatizado pelo presidente Bolsonaro em seu pronunciamento. “Os ministros falam entre si, buscando soluções”, afirmou. E enalteceu a atividade do campo. “É um trabalho de sol a sol. De segunda a segunda. A Presidência não vai mais atrapalhar vocês, vai estar lado a lado. E vocês terão a devida segurança jurídica para plantar e produzir”.

Ao presidente, Teresa Cristina agradeceu sua indicação para a pasta. “Presidente, quero lhe agradecer pela confiança que teve nesta frente parlamentar, quando entregou a ela a sua vontade que indicasse o ministro da agricultura. E, se cheguei ao cargo, foi por companheirismo e respeito dos colegas”.

Ex-presidente da FPA, a ministra transmitiu o cargo ao seu sucessor com a presença também do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Sobre o período de um ano em que esteve à frente da FPA, Tereza Cristina, comentou que “foi uma experiência importantíssima. Primeiro, nunca pensei que, como deputada em primeiro mandato, chegaria a ser presidente. Foi um ano muito difícil, de eleição. Mas eu tenho certeza que eu consegui deixar um pouquinho do meu legado”.

Não é fácil presidir a Frente Parlamentar da Agropecuária, destacou a ministra, acrescentando que “no exercício do cargo são encontradas dificuldades e incompreensão, às vezes, da sociedade, no próprio parlamento, quando nos imputam a pecha de que somos um setor atrasado, que a gente sempre quer benefícios, e não é nada disso. O nosso setor não tem medo, é ousado, é um setor altamente tecnificado que coloca o Brasil para a frente e enfrenta todos os desafios”.

Quanto ao cargo de ministra da Agricultura, afirmou, “recebi essa missão com grande honra e vou fazer o máximo para que esses deputados que me indicaram, que representam milhões de produtores rurais brasileiros, possam ter orgulho de dizer que fizeram a indicação certa”. Tereza Cristina enfatizou que a atividade garante comida barata e com segurança alimentar na mesa dos brasileiros e ainda a exportação para mais de 160 países.

Texto e foto: Ministério da Agricultura
 

Veja também

Pesquisa mostra como as indústrias de ovos, frangos e suínos sofrem os efeitos da pandemia21/05/20 Redução da demanda interna, dos preços e dos custos de produção, manutenção das atividades produtivas e expansão das exportações. Esses foram alguns dos impactos observados da pandemia de Covid-19 nas cadeias produtivas de frango de corte, de ovos e de suínos. Resultaram de um estudo realizado pela Embrapa Suínos e Aves junto ao......
Brasil poderá exportar produtos termoprocessados de aves para o Egito23/07/20 As autoridades do Egito aprovaram a importação de produtos termoprocessados de aves produzidas no Brasil. Com isso, o Brasil alcançou a marca de 85 mercados externos abertos para produtos agropecuários desde janeiro de 2019. A......

Voltar para EDITORIAS