-
Postado em 18 de Dezembro de 2019 às 11h46

Produção avícola paranaense segue ritmo de crescimento acima de 5% no acumulado

Avicultura (40)

Os números da produção avícola paranaense no acumulado até o mês de novembro confirmam a recuperação do setor durante 2019. Com expectativa de crescimento em produção para o ano entre 4 e 5%, o estado segue esse ritmo até o momento, como mostram os dados do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar). No Paraná, os abates de frango cresceram 5,96% no acumulado do ano, registrando 1,71 bilhão de cabeças ante 1,62 bilhão em 2018.

Considerando apenas novembro, a produção foi de 150,96 milhões de aves, número 2,64% maior em relação ao mesmo mês do ano passado, no qual 147,08 milhões de aves foram abatidas, e a melhor marca no décimo primeiro mês do ano em sua história.

Para o presidente do Sindiavipar, Domingos Martins, os números reforçam o trabalho realizado pelos produtores na recuperação econômica do setor. "Juntos tivemos a capacidade de nos moderar, de agirmos com sabedoria quanto ao crescimento e trabalhamos exatamente de acordo com a nossa demanda para projetarmos nossa oferta. Hoje a grande preocupação da avicultura paranaense é se manter atuante e vigilante no mundo todo, oferecendo cada vez mais produtos, com as melhores condições possíveis", afirma.

Exportações

As exportações acompanharam o ritmo de crescimento, impulsionadas pelas novas habilitações para o mercado internacional e à crise de peste suína africana que assola a Ásia. No acumulado até novembro, o Paraná enviou 1,43 milhão de toneladas de carne de frango ao exterior, um aumento de 2,43% em relação ao mesmo período em 2018 (1,39 milhão de toneladas). Desta forma, o Paraná foi responsável por 37,97% dos embarques brasileiros da proteína até o momento, mantendo o estado na liderança do setor tanto na exportação quanto na produção. Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Em receita, o valor chegou a US$ 2,31 bilhões, com aumento no acumulado de 6,94% em relação a 2018 (US$ 2,15 bilhões). Os principais países importadores da carne de frango paranaense foram a China (252,34 mil toneladas), seguida por África do Sul (127,30 mil ton.) e Emirados Árabes (117,02 mil ton.).

Os números trazem otimismo ao setor, que espera um crescimento de 4 a 6% para o próximo ano, como ressalta Martins. "Acredito que teremos um ótimo 2020 para a avicultura, com a expectativa de crescimento da economia. Este avanço impulsiona o consumo, e com isso nós crescemos também. Espero um aumento ainda maior de nossa produção, levando em conta que o mundo está cada vez mais precisando importar proteínas de origem animal, principalmente do Brasil e do Paraná", ressalta.

Sobre o Sindiavipar

O Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar) representa 44 abatedouros e incubatórios paranaenses. Desde sua fundação, há 25 anos, o Sindiavipar tem trabalhado para buscar o crescimento e a sustentabilidade da avicultura do estado, buscando sempre representatividade no mercado interno e externo.

Atualmente, o Paraná é o maior produtor e exportador nacional, além de referência em sanidade avícola e responde por mais de 38% das exportações de carne de frango do país, embarcando o produto para mais de 160 países em todo o mundo.

 

Texto: Assessoria de Imprensa Sindiavipar

Foto: Pexels

Veja também

7 dicas para realizar um programa de biosseguridade eficiente em incubatórios26/11/20Manter o monitoramento nos principais pontos de entrada de doenças no incubatório pode garantir a produção de aves de qualidade e com melhores resultados Os incubatórios são criadouros que passam por constantes ameaças de patógenos, devido às condições climáticas no interior do ambiente, circulação de pessoas, tráfego de veículos de diversos locais e entrada de materiais. Somado a isso, a alta rotatividade de ovos que chegam vindos de diversas granjas contribuem para que os......
Custos de produção de frangos de corte aumentam em março 18/04/19 Os custos de produção de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa (embrapa.br/suinos-e-aves/cias) subiram 0,24% em março. O ICPFrango chegou a 216,82 pontos, encerrando a......
Como proteger sua granja contra a Salmonella26/02/20 Apontada como um dos principais problemas em granjas e, consequentemente, de perdas econômicas, a Salmonella desperta atenção por conta de riscos relacionados à saúde pública. Provocada por uma bactéria......

Voltar para EDITORIAS