-
Postado em 05 de Fevereiro de 2019 às 11h01

Receita do setor agropecuário cresce 3,1%

Mercado (153)

VBP supera R$ 600 bilhões, impulsionado pelo setor agrícola. 

O Valor Bruto da Produção (VBP) do setor agropecuário, que mede o faturamento da atividade “dentro da porteira”, fechou 2018 em R$ 600,3 bilhões, crescimento de 3,1% em relação a 2017, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

O resultado foi impulsionado principalmente pela receita do setor agrícola, que cresceu 4,4% e atingiu R$ 393,8 bilhões. Os maiores faturamentos foram observados no trigo (57,7%), do algodão em pluma (51%), cacau (46,1%), café arábica (23,4%), soja (17,6%) e batata-inglesa (15,1%).

As altas do trigo, do algodão, do cacau e da soja foram puxadas pela elevação nos preços e na produção, enquanto o desempenho do café foi atribuído à variação positiva na produção, enquanto o faturamento da batata subiu por conta dos preços.

O VBP da pecuária no ano passado foi de R$ 206,55 bilhões, crescimento de 0,8% sobre o resultado de 2017. Destaques positivos para o leite (5,1%), único produto da pecuária que apresentou alta nos preços e na produção. 

A carne bovina apresentou crescimento de 2,5% por conta do aumento da produção e a carne de frango cresceu 2,1% por conta dos preços. Ovos e Suínos apresentaram retração no faturamento de 12,1% e 15,7%, respectivamente.


2019 

A primeira projeção da CNA para este ano aponta uma alta de 5,6% no VBP em relação a 2018. Desta forma, o faturamento deve atingir R$ 633,9 bilhões. A CNA prevê elevações de 4,7% para a receita da agricultura (R$ 412,2 bilhões) e de 7,3% na pecuária (R$ 221,6 bilhões). Destaque para a soja, carne bovina, milho, cana-de-açúcar e leite, que devem ter os maiores faturamentos.


Por Assessoria de Comunicação CNA/SENAR
Foto César Machado/Agrostock

 

 

 

O resultado foi impulsionado principalmente pela receita do setor agrícola, que cresceu 4,4% e atingiu R$ 393,8 bilhões. Os maiores faturamentos foram observados no trigo (57,7%),  algodão em pluma (51%) e cacau (46,1%. 

Veja também

Brasil quer ganhar posições na produção mundial de cacau e chocolate11/07/19 A história da lavoura cacaueira no Brasil é permeada por momentos de altos e baixos. O país que já foi o maior exportador de cacau, hoje figura na sétima posição no mercado mundial, mas com perspectivas de aumentar sua participação, principalmente na venda de produtos com maior valor agregado, como chocolate fino. A Comissão Executiva do Plano......

Voltar para EDITORIAS